domingo, 16 de maio de 2010

VII - Julho de 2005 - POEMA

Poema PARA LR

Disseram-me que felicidade não se pega.
Pois eu a pego
E a tomo nos braços.
E a aspiro com força.
Felicidade não se pega?
Ela é tenra,
Afirmo.
Ela é ágil, gira em torno de meus braços.
Ela exige.
Ela,
Eu jogo na cama.
Aperto.
Beijo.
Ela ri.
Sente cócegas.
E ri.
É dona do mundo.
E o mundo ama
A minha felicidade.
Que corre solta pelo vento
E voa,
Porque ela voa
Na dança
Pra cima,
Pra baixo.
Fios dourados ao vento.
E ela ama os pássaros, o barro e as poças.
E as moças.
A minha felicidade
É como o mar que me inunda,
Quando nele entro
E mergulho.
E me concentro.
Percebo,
Que é maior que eu.
A força do mar.
A força da minha felicidade.
De todas as idades.
Que vive em toda a minha cidade.
Iluminada,
Nela,
Única.
Me invade,
Etérea.
Felicidade não se pega?
É dela.