terça-feira, 15 de agosto de 2017

Meu amor longe de mim



Meu amor está longe de mim. É muito chão, é muito ar, é muita solidão. Distância palpável, pois meu coração parece oscilar. Tenho medo de respirar profundo tenho medo de respirar pequeno tenho um mundo de medo. Todos os olhos assaltam-me porque meu amor está longe de mim. Evito. Não penso. Desvio a rota. Sou alma suspensa... esperando meu amor voltar.

Meu amor está longe de mim e eu sou só até ele regressar. Não conto o tempo. Não conto aos outros. Embalo-o. Guardo-o. Sou os olhos do mundo, sou todos os caminhos. Sou a sombra para ele poder passar. E voltar.

Agosto, 15.


Image may contain: drawing
(Desenho por Ana Luísa Meneghini)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Meu coração é um voo...

Image may contain: sky, mountain, cloud, outdoor and nature
(fotografia de SCG)


Meu coração é um voo em direção ao meu amor. Tenho força, tenho fé e coragem nesse arremesso aos céus e na aterrisagem mais que perfeita. Sou o ontem do seu amor. Sou hoje o seu amor. Voo porque eu posso amar. Mais livre que o voo é esse meu amor.

(Suzana Guimarães)




sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Denise Portes escrevendo por mim!


"Se me perguntar quais são os meus planos eu tenho uma ideia geral pra onde eu vou, mas eu não tenho planos rígidos. Eu fico no agora e não fico pensando no que eu tenho que fazer daqui a pouco, eu vou pensar nisso na hora de fazer. Eu vou pensar nisso quando eu tiver que fazer daí eu me jogo naquele negócio e depois eu me jogo na próxima coisa. E assim através do presente eu pavimento o futuro... É assim que eu lido com a confusão deste desconhecer".

Por Denise Portes.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Primeiro de agosto

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)



Madrugo em seu dia, aguardo-o. Poucos dias em um ano são importantes para mim. Hoje é dia azul, hoje tem o seu olhar nesta maresia que envolve-me. Conto sua vida como se contasse a minha, quase idênticos, dois sonhadores. Amor, meus sonhos são seus. Amanhã, seremos afortunados! 

Encosta seu rosto em meu ombro... ainda podemos estar assim... solitários e harmoniosos. Em silêncio, às vezes bastante estabanados, mas constantes! Repetimos o movimento... encosta em mim, escuta, a gente se repete porque a gente se tem.

Agosto, primeiro.




Por Suzana Guimarães


(Nota: Texto publicado originalmente Aqui!

terça-feira, 1 de agosto de 2017

A prostituição



(Arquivo pessoal de SCG)



Nada tenho contra a prostituição! Meus pais assim 
me conduziram na vida. Mas eu abomino a prostituição do amor. Amor não se compra e muito menos se vende. Amor é a nossa única salvação. Tenho horror de quem tenta ou coloca cifrões nele. É como nos ofertar à morte permanecendo em vida, em um sacrifício barato.

Por Suzana Guimarães.