segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Os ventos sopram para onde bem querem...

(desconheço autoria da imagem)



Os ventos sopram para onde bem querem. A palmeira à minha frente é tão alheia... Esguia, balança-se superior... imagino seu tombo, penso em ventos fortes, da janela do meu carro tenho todo o tempo do mundo, todas as maldades e vontades de destruição... Mas a palmeira, apesar da sombra que dá, apesar da beleza que proporciona, inclusive alimento e abrigo para esquilos e pássaros, é partícula ínfima do todo e não sairá nem um centímetro do seu lugar e ela ainda ri das minhas tolices e grita junto com as maritacas, "Louca, louca, louca...".

Os ventos sopram para onde bem querem e essa palmeira, especialmente essa, que observo num sentimento de admiração e de aprendiz diz-me que os felizes nem sabem de ventos com suas rosas...

Pouco importa, norte ou sul, o mundo é um só multiplicado por ele mesmo.


(suzana guimarães)