quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

ELA É LINDA, É LOIRA E É MINHA

fotografia, por SCG


Teus fios ouro, finos, esvoaçam em meu casaco preto, no banco do carro, no sofá da sala. Eu amo teus finos fios ouro e esta tua força firme com que segura teus pés no chão, quase escorrega, mas não cai, quase chora, mas não chora, quase se entrega, mas não entrega. Você não sabe, mas ajoelho-me em imagem ao lhe ver refletida em minha pele, densa pele a tua que transfigura a minha em nada. Sou apenas olhos a lhe contemplar, e você nem sabe, apenas se move, soberana, loira, altiva e rica. É dona de mim, sem que eu ofereça resistência, por ti corto meu véu, no talho, perfumo meu corpo para o vento que soprar para ti seja quimera, seja conto. É rica porque me possui, é rica porque sabe o porquê veio, para que veio e a quem quer. Guardo teus fios ouro dentro dos meus olhos, cheiro teu corpo à distância, o pouco que alcanço, o pouco que toco, tudo bastante e grande, suficiente, que preenche cada poro meu, onde você passeia alheia. 

                                            por Suzana Guimarães