sábado, 21 de novembro de 2015

EU O AMO

(arquivo pessoal de SCG)
Eu o amo! Eu o amo, bem antes do saber, bem antes do conhecer; eu o amo por alguma obra do universo. Eu o amo e isso é tudo. É o tudo absoluto, o que basta. 

Seu silêncio mata-me diariamente, corrrói cada fibra que eu demorei vidas para construir... seu silêncio cala-me e junto cala as dores do mundo (nada é tão comparável ou supera!).

Seu silêncio é a fruta que vi e não comi, morta de fome. 

Seu silêncio é o calar do outro, igual a você!

Eu o amo. 

Eu o amo e isso em nada me diminui. Ao contrário, engrandece-me, assim como o broto que vira flor, assim como o rio que corre para o mar. Eu o amo! Sabe o que isso significa?

Significa que eu existo tão plena porque você, um dia, chegou e olhou-me nos olhos. Revelou-me a verdade. Vivo disso, do amor que vi em seus olhos.
Saiba,  quero que decore isto: eu o seguirei por toda a vida  e além dela. Eu estarei sempre pronta. Eu estarei sempre à espera. Estarei eternamente atrás do seu passo.

Porque, a mim, você é tudo o que me basta. Um segredo revelado antes. Um desejo antigo e pedido. Esperado e em meus braços.

Para sempre sua, até que você decida o seu último dia, e, mesmo assim, darei minhas existências, todas elas, só para o ter, por um segundo, dois, para sempre. Amém.

Por Suzana Guimarães