segunda-feira, 10 de julho de 2017

Esses pássaros nestas noites...


Que pássaros são estes que cantam por quase toda a noite; ou talvez eu apenas não os ouça, embriagada pela frescor da madrugada que cheira a jasmim, e adormeço, e eles não cessam? Estão a cantar agora! São muitos e são vários! Disseram-me que havia corujas nos pinheiros e que elas emitem seus sons, mas é mais que isso, é uma orquestra, das mais finas e bem arranjadas. 

O cheiro de maresia cedeu lugar ao jasmim ou seriam as damas-da-noite? 

E esses pássaros... sou feliz por isso! Por estar aqui, por ter encontrado, por ter atenção para ouvi-los, embora seja uma orquestra que se impõe. 

A imposição do belo, do anjo, da flor; a imposição do real e verdadeiro, a imposição do amor... mesmo que fosse em mim escassa a atenção, mesmo sendo arrebatador, forte, a seta no alvo central do seu coração... 

Eu nunca deixaria de questionar, que pássaros são estes que cantam? Que flores são essas que cheiram tão inebriantes? Que noites são essas? 

E esses pássaros... 



Suzana Guimarães ​