quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

PARCERIA

fotografia, por SCG




por ter acreditado, colhi todas as maçãs
amorosamente fatiadas
por ti
a mim ofertadas com votos de bem amada


e assim, caminho
pelas manhãs...


[não são tantas as alegrias
mas tenho sempre a ti
a velar na chama ardida
curar minhas feridas
das paixões mais vãs]


em amanhãs

(suzana c. guimarães)

30 comentários:

  1. Suzana querida,
    O mais bonito é que nós seguimos acreditando no amor. Por ele escrevemos versos lindos, como esse que você publicou.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir
  2. Bom dia amor!
    Então nas manhãs o amor sustenta as palavras.
    Bem amada Suzana.

    Beijo meu, com carinho.
    Fernanda.

    PS: Teu poema sempre enfeita as entrelinhas.
    A poesia voeja entre corações.

    ResponderExcluir
  3. Profundo, belo e me deixou em paz!

    "não são tantas as alegrias
    mas tenho sempre a ti
    a velar na chama ardida
    curar minhas feridas
    das paixões mais vãs"

    ...das paixões mais vãs...
    Pena que só descobrimos o quão vãs são depois que já não são mais paixões... E como deixam feridas, e como deixam marcas profundas...
    Que bom que Deus sempre levanta alguém para
    nos ajudar a levantar...

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. 'Eu quero as massas e as maças', sempre!
    Abçs*

    ResponderExcluir
  5. Suzana,


    Ler teus versos faz sentir o sabor de comer maçãs amorosamente fatiadas por ti!

    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  6. Delicadamente lindo...

    Lendo seu poema, minha manhã se tornou um pouco mais doce, e mais bela também.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Quantas sensações!!

    Fiquei a apreciar a imagem desejando ser outono. Senti o cheiro do campo e ouvi o vento arrastar as folhas secas para a sombra da árvore. Senti o aroma da brisa suave de um outono cheio de saudade...

    Seus versos silenciaram em mim permitindo sensações inigualáveis. Gosto. Cheiro. Saudade. Alegria. Brisa matinal... Deliciosas e preciosas sensações!!

    Lindo, Su-su!

    Você me encanta com as suas palavras que brincam em minh'alma!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Essas estão me parecendo àquelas maças do amor, que em dias de labuta e avenidas em caos saímos a andar e dar risadas em vias contaria da estação, pq os relógios do amor andam em tempo avesso do fluxo comum.
    E as maças?! Carameladas, vitrificadas aquele tom vermelho da china. Perfeitas de mais estas maças, quase uma intocável, pois a beleza estanca o olhar.
    Falando serio se elas fossem do realmente do Amor ela seria duramente açucarada para uma desejosa mordida ainda correndo o risco de quebrar o dente, sem falar que quando chegamos a polpa é aquela coisa ‘fofa’ devido a intensidade de calor descabido da hora e alem de tudo seca. Ora, elas poderiam chamar-se Maças torrentes paixões, mas quem as compraria quem ousaria a oferecer. Não ofereço estas maças nem a amigos, sou das naturais aquelas que ao morder espirra o sumo e fazem barulhinho bom e umedeci os lábios, essa que se planta nos jardins se rega todos os dias e vê crescer.
    Aff Maria me passei
    Agora... Fotografia; Maiiis é linda e no meu pensamento já sinto o conjunto da obra, é lindo.
    Adoro esta imagem Suzana.
    Bjinhos e dias feito esta lua crescente pra vc moça.

    ResponderExcluir
  9. Algumas fatias, precisamos aceitar; outros pedaços, ofertar.

    Tbm adorei a foto! =)

    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. O melhor da história é poder compartilhar a maçã.
    Linda foto, vc me pegou nesta...
    Beijo Blue.

    ResponderExcluir
  11. Acho que vou eu fatiar algumas maçãs para saborear um pouco de tudo e colher as sensações depois. Bacio

    ResponderExcluir
  12. Queridos,

    A escada, eu a vejo sempre, de belo nada possui, apenas o fato de ser escada. Mas as maçãs fatiadas, espalhadas, caídas displicentemente (?), encheram minha boca d'água. Eu vi maçãs em finas fatias firmes.

    Pensei em postar apenas a fotografia e deixar a critério de vocês as interpretações, pois a imagem fala por si só. Porém, eu pensei em Deus...

    Beijos e obrigada pelo carinho da atenção, pela delicadeza de se sentarem e degustarem as fatias das maçãs comigo.

    ResponderExcluir
  13. Quando se acredita, o céu do amanhã é sempre menos nebulado...

    beijo :)

    ResponderExcluir
  14. Hoje peguei uma tarte de macã fatiada, cortei um pedaço bem grande de "beurre", e levei-a ao forno a gratinar... Na pele morena da massa folhada, o crocante do tropical se uniu com a manteiga derretida do amor, que pela minha boca escorria na forma de gulodice, e fome e beijo...

    Do forno saiu queimada e doradinha, estaladiça de morte, não, não são beijos nem fatias, é uma tarte de maçã!

    Aí... eu fui ao caramelo que em forma dd fiapos escorreram pelo prato e no toque final para arrematar, vaporizei o ar tempestuoso com uma nuvem de canela em pó e ao lado uma bola de baunilha só porque me lembrei da Bia e da baunilha...

    Paris hoje tava soleada, mas a tarte de maçã fatiada, nem te conto era de comer e chorar por mais...

    Existem muitas fatias no amor, e existem muitas tartes de maçã fatiada, afinal a vida é isso mesmo o MOMENTO no qual estamos...

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. As maças também estão aqui, sabe...sempre acreditei que maças fossem o fruto proibido,
    acho que é na verdade, a maça do amor.

    Beijos Suzana, querida!

    ResponderExcluir
  16. Leo,

    As maçãs se parecem com um coração. As maçãs são fáceis de serem transportadas e demoram a perecer.

    Maçãs do amor são vendidas nos parques. Maçãs são dadas a pessoas famintas e a bebês, raspadas e dadas na colher. Muitas crianças deram maçãs para suas professoras e maçãs são dadas a alguém que embarca numa longa jornada.

    Tuas palavras me levaram ao passado e lembrei-me do último terremoto que teve no Japão (se eu estiver errada quanto aos detalhes, por favor, façam a devida correção). Li, numa revista, na época, que uma moça havia permanecido 18 dias soterrada nos escombros de um prédio desabado. Ela havia bebido água da chuva... disse aos repórteres; daí indagaram (a velha pergunta: você sofreu diante do sofrimento?) como ela havia sobrevivido tanto tempo sem comida e ela respondeu que

    um monge sempre levava maçãs para ela.

    Eu creio nas maçãs e no monge.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Aleatoriamente disse...
    Bom dia amor,
    Teu poema abraçou a tua lembrança e vice versa.
    O amor é Deus, o amor é poesia.

    Beijo linda Suzana, que em tão pouco tempo ganhou meu coração, com sua sinceridade bonita.

    Fernanda.

    PS: Su exclui o outro comentário para não ficar feio teu cantinho. Fui colocar bom e coloquei boa hehehe, que euzinha distraída!
    Desculpa.

    ResponderExcluir
  19. E há sempre um novo nascer do sol para a vida continuar a nos brindar com mais vida, mais amor.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  20. Hoje e amanhã é sempre renovador trilhar caminhos construídos pelas paixões. Mesmo as mais vãs têm algo a ensinar.
    Uma sexta-feira de caminhos de paz pra ti, querida.
    Bjoooo

    ResponderExcluir
  21. Lindo demais, amiga!
    Um direto e doce poema de amor!
    Aliás, um belo casamento de imagem e palavras! Um momento de iluminação!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  22. É bom ter sempre quem nos alimente em cada degrau... as fases que Deus nos permite passar sozinhos por algum motivo (q só Ele sabe), são as mais difíceis, as mais dolorosas e nas quais mais choramos... mas de fato as que somos fortalecidos.
    eu particulamente, gosto das fases difíceis que eu gane maças, que tenha um ombro, um consolo.

    Cada degrau, é uma fase e um aperfeiçoamento, acredito profundamente que nada é por acaso, e que o que tem que ser vigora.

    Beijos,

    ótimo fds!

    P.S. Se eu ler dez vezes seu texto terei dez coisas diferente para falar sobre ele. Eu de fato achei perfeito!

    ResponderExcluir
  23. Obrigada, a todos, pelas interpretações.

    Confesso, sou às vezes muito maldosa e fiz o texto de forma a ser visto por diversas maneiras. Não há a melhor, nesse não há. A fotografia revela por si só.

    Ontem, eu vi novamente a escada. Fiquei surpresa comigo mesma, porque a achei muito feia, larga, cinza, impessoal, e fiquei pensando a razão de eu ter batido a foto. Talvez, seja porque não há mesmo tantas alegrias, mas contento-me e satisfaço-me com o mais singelo dos presentes.

    Talvez, eu não consiga enxergar que o mais singelo dos presentes é o maior de todos.

    ResponderExcluir
  24. Su, queridona,

    Que delícia! Lembrei de Trem das Cores...
    Pedaços de maçã, pedaços de amor, pedaços de vida.

    Um tremendo fim de semana pra ti,

    Bjocas

    ResponderExcluir
  25. Lily!

    adorei o que disse sobre as maças, aprendo sempre mais contigo. :)

    e desejo a ti um lindo final de semana e uma maça!

    ResponderExcluir
  26. Delícia de poesia!!
    Foto perfeita!

    Bjos, linda!!!!!!!!

    =)

    ResponderExcluir
  27. que lindo!
    pedacinhos ofertado vão saciando a gente, até que um dia queremos o fruto inteiro!

    beijo!

    ResponderExcluir
  28. São maçãs, mas não deixam de ser partidas...

    ResponderExcluir
  29. que coisa mais linda! Que profundo...me inspira!
    :)

    ResponderExcluir
  30. E quando não temos ninguém à velar nossas paixões perdias, temos a nós mesmos.
    Fingimos não sofrer; fingimos nos amar, em suma, nos idealizamos fortes o suficiente para nos mantermos sozinhos.
    abraços...

    ResponderExcluir

A caixa para comentários está novamente aberta. Contudo, agora, "os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;"
- com luzinhas e pequenos corações saltitantes porque pesam a página.