quarta-feira, 8 de setembro de 2010

VENHA CÁ

ilustração, R.Meneghini


 por Suzana C. Guimarães

(seja qual for o seu tamanho, só use se servir)


Grite meu nome e sobrenome
(não quero que a seta se desvie do alvo)
Confesse todo o ódio que lhe causo
(e também amor, se oculto)
Berre todas as suas verdades sobre mim
(saiba que me dará a oportunidade de resposta)
Diga o quanto sempre me desprezou
(mas confirme a minha suspeita de que você tinha medo de você mesmo)
Abra a cortina da boca e exponha suas raivas engolidas
(aquelas todas que jorrei em você)
Acuse, diga que esperava sim
(quando eu me fazia distraída)
Acuse, e diga que esperava a minha entrega
(mas eu me fazia sempre alheia)
Faça-me olhar seus olhos
Obriga-me a revelar a verdade daquela entrega
(aquela que você nunca saberá)
Espume a boca e diga que sou apenas tudo aquilo que fere, corta e mata
Não me bata
(você pode não assistir ao final dessa história)
Mas grite, escreva, devolva o presente que lhe dei
(devolva-o agora!)
Tire esta roupa toda
(máscaras, perucas e enfeites - tudo!)
Me dê o prazer de vê-lo
(totalmente nu)