quinta-feira, 1 de julho de 2010

TEU RETRATO E EU

                                          Suzana C. Guimarães

Teu retrato,
Em dois dias,
Se dissolve.
Se, de saudades minhas
Se, de morte tua.


Se tu ousasses,
Teu retrato petrificaria,
Eterno
Indecifrável
Enigma.

Porém, tu não ousas
E eu vou a cada dia
Clarificando-me.
Não sou retrato,
Sou presença.
Nasço na praia
E por tão clara,
Ofusco-te!


Não! Não desejo ofuscar-te!
Desejo contemplar-te
E, em enleio, vigiar teus passos
Se caminhas em praias claras
Haverás de me achar


Dispensa tu,
Tuas lentes verdes,
Desfaça tu o vezo das vestes.
Procuras ver mais para dentro,
Menos para fora, onde estou
Resgatas a ti mesmo
E tu poderás em mim fixar


E teu retrato em mim não desmancharia,
E eu jamais te ofuscaria
Permaneceríamos...
Bem acima do enigma.