sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Sobre amor

(arquivo pessoal de Suzana Guimarães)


É preciso que seja belo, belíssimo, leve e certo; que seja inteiro, ímpar, distinguível de tudo já conhecido, um açoite na libido - moribunda. Que seja fácil, claro e concreto, isso, repito, que seja certo. Que seja profundo por ser urgente; verdadeiro por ser natural; plácido - lugar onde se deita e, se morre-se, é morte feliz.

Suzana Guimarães



clica em cima para ouvir