segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Parece fácil.

(Arquivo pessoal de SCG)



Quando avisei a minha saída do país, muitos disseram que estavam para fazer o mesmo. Quando escrevi um livro, "Ah, também escreverei um livro!". Na escola da minha filha, certa mãe, estrangeira também, compete comigo. Não sei bem ao certo no quê. Sei que compete sozinha. Tantas palavras só para dizer que comecei a apresentação de um amigo poeta centenas de vezes - trabalho esse no plano mental ainda. Monto e desmonto o intróito, acreditando que meio e fim virão na sequência... Sofro na incompetência do ato. Tenho tudo para ele e tenho nada. As frases desmancham-se no ar, caprichosas! Sinto a solidão disso. Pergunto-me onde estariam todos quando a gente se posta no caminho.

O título: Parece fácil