sábado, 19 de junho de 2010

MOÇA DE VERDE-VER-TE

                                                    Suzana C. Guimarães

Moça de corpo redondo
de cara redonda, nariz redondo
Na mesa quadrada
diante de cartas -
tão retas, retangulares, retas
enfeitadas.

Moça redonda
de batom cor de onda,
Feitiça:
cabelo palha
olhos esmeralda.

Negação, negação, negação.
Impossível, impossível, impossível...

Moça redonda recarrega batom,
faz onda.
Olha a bunda!
Vejo a bunda.
E lhe digo:
O futuro abunda!

6 comentários:

  1. Este é aquele poema que parece implorar por ser musicado... Sim, a música praticamente dele transborda...!
    GK

    ResponderExcluir
  2. Sério, Gugu?
    Fiquei curiosa... Mas... assim... que tipo de música?

    ResponderExcluir
  3. Palavras oníricas... imagens de poesia...na simplicidade.

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  4. Lily...
    Creio que um samba bem calmo, meio bossa-nova, só para voz e violão...!
    GK

    ResponderExcluir
  5. R vai ter que fazer essa música...

    ResponderExcluir
  6. Valéria, sabia que quando abro a página e vejo seu retrato no quadradinho é o mesmo que ler
    "BOM DIA!"? (Faz boca cheia pra falar o BOOOM DIA!)

    ResponderExcluir

A caixa para comentários está novamente aberta. Contudo, agora, "os comentários passam por um sistema de moderação. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e marcas;"
- com luzinhas e pequenos corações saltitantes porque pesam a página.